12
Dez 08

Machado é um moderno no sentido muito particular, mas também muito preciso, de não ter nenhum respeito pelos predecessores. Quer dizer, ele não vê que nenhum autor clássico represente a essência ou a natureza da literatura, não aceita do passado nenhuma norma, e vive a sua própria experiência com um sentido de liberdade muito moderno: ele pode escrever o que muito bem lhe der na gana.

[Abel Barros Baptista em entrevista aos Livros Ardem Mal,
a propósito do centenário da morte de Machado de Assis]

publicado por T. às 18:07

Haverá sempre Paris
pisl
Tudo o que resta
tit
Em Espera
jcm cd
Insultos & Elogios para:
deolhosbemfechados@sapo.pt
No armário
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


DeOlhosBemFechados

Ver de perfil

4 seguidores

Procurar
 
Vale a pena abrir bem os olhos
blogs SAPO