28
Jul 09

Lembro-me que tinha uns 12 ou 13 anos. Lembro-me de chorar baba e ranho. Lembro-me de puxar os cabelos, de me sentar de baixo da escrivaninha horas a fio. Lembro-me de julgar que o mundo acabaria ali. Lembro-me de agarrar o leitor de cassetes e de o apertar contra o peito, enquanto fazia rewind vezes sem conta e soluçava a letra da canção.
E lembro-me. Lembro-me sempre. "Filha, vou dar-te duas coisas: caneta e papel. Os livros tu já tens. Com eles nunca estarás só. Nunca. Acredita em mim: pega nesta caneta e põe-te na folha em branco. Deita-te nela. Aconchega-te no meio das letras. Grita quando te apetecer, entre um parágrafo e outro. As minhas purgas estão na estante do quarto. As tuas hão-de estar também."

publicado por T. às 13:41

Haverá sempre Paris
pisl
Tudo o que resta
tit
Em Espera
jcm cd
Insultos & Elogios para:
deolhosbemfechados@sapo.pt
No armário
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


DeOlhosBemFechados

Ver de perfil

4 seguidores

Procurar
 
Vale a pena abrir bem os olhos
blogs SAPO