03
Fev 09

A propósito de um dos textos que referi aqui,
fica uma viagem no sofá de Ruben P. Pereira:

Quando uma pessoa está em casa a convalescer acaba por ter tempo para ler o Actual, denominado suplemento de Cultura do jornal Expresso. E, por dispor desse tempo, acaba também por se sujeitar à leitura de certos textos, como o dado à estampa por um escriba de seu nome Rogério Casanova (o que, já por si, não agura nada de bom), sobre um livro chamado «Intelectuais» (da Guerra & Paz), que hoje deve ser lido à 'luz' (salvo seja) da sua data de publicação (1988). (...)
O escriba, contudo, tinha de terminar com um
gran final indefensável, como a teoria que exibe em todo o texto. Pois, só que ao fazê-lo tornou-se imperceptível e abstracto, coisa que supostamente critica.

[Via Viagens no Meu Sofá, ler o texto completo aqui]

publicado por T. às 11:35

Haverá sempre Paris
pisl
Tudo o que resta
tit
Em Espera
jcm cd
Insultos & Elogios para:
deolhosbemfechados@sapo.pt
No armário
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


DeOlhosBemFechados

Ver de perfil

4 seguidores

Procurar
 
Vale a pena abrir bem os olhos
blogs SAPO